Fantastic Beasts and Where to Find Them Review – JK Rowling entra no estilo Steampunk

O último filme da autora de Harry Potter, Rowling, criadora do mundo mágico, é uma maravilhosa agradável aventura, protagonizada por Eddie Redmayne como um “magizoologista” que tropeça numa obscura e mágica aventura em Nova Iorque.

2016, FANTASTIC BEASTS AND WHERE TOEDDIE REDMAYNE Character(s): Newt Scamander Film 'FANTASTIC BEASTS AND WHERE TO FIND THEM' (2016) D

Nós nunca precisamos de apoiar mais; embora exista uma rigorosa fuga, este filme talvez esteja comprometido por uma das suas personagens, um rico e odioso, imbecil de Nova Iorque, um homem sem graça, ou melhor dizendo, rezingão, dependente do dinheiro do seu pai e zelador das ambições políticas. “Foi mencionado como futuro presidente,” alguém afirmou. Com certeza que não…

A encantadora do entretenimento JK Rowling voltou ao mundo da magia numa chuva de faíscas sobrenaturais – e criou uma fantasia gloriosa- de romance e aventura, tudo sobre os bruxos da era pré-guerra americana, onde a magia era retraída. É um britânico que causa o caos neste meio, com uma mala cheia de criaturas exóticas. Uma adorável interpretação de Eddie Redmayne, que é ele próprio uma “fantastic beast”. Existe um momento no filme, em que ele tem de levar um animal errante à submissão, e a sua contorção levaria Andy Serkis à vergonha.

O Newt é um conhecedor, cientista, um cabeça de vento e taxonomista de animais mágicos, que não está muito distante de Dr Who, um imaculado Potter ou um jovem Darwin. Redmayne e a sua inconfundível voz soprosa tem algo que lembra o jovem Attenborough. A entrega e a fácil empatia que cria com o espectador, com a sua presença em ecrã, e a completa generosidade da energia cinematográfica, é como se ele e o elenco nos estivessem a oferecer um presente de Natal antecipado.

Um veterano em Potter, David Yates é o diretor e Rowling adaptou o manual de Hogwarts Fantastic Beasts and Where to Find Them, de Newt Scamander:  o primeiro nome é uma abreviação de “Newton” e em nada está relacionado com o ingrediente de feitiços. Este é um trabalho ficcional de magia primariamente mencionado em Harry Potter and The Philosopher´s Stone, foi a própria Rowling que o escreveu e o publicou para ajudar a organização de caridade Comic Relief uns anos depois. Então quem foi Scamander? Rowling dá-nos a respostas ao converter essa estática enciclopédia numa espetacular aventura cheia de ação sobre as origens deste livro, localizada na cidade de Nova Iorque, na era pré-guerra, 70 ou 80 anos antes de Philosopher´s Stone. Isto torna-o numa “prequela”? De certa forma. Existe algumas dicas e alusões, incluindo o nome de Dumbledore.

Promete ser o primeiro de uma série, e não me surpreenderia saber que Rowling já tem cada detalhe organizado para a saga completa, em detalhes arquitetónicos –  e que ela já tinha isto na sua cabeça ainda antes de escrever o primeiro Potter.

Eddie Redmayne and Katherine Waterston in Fantastic Beasts and Where to Find Them.

Fanstastic Beasts é um rico, barroco, e detalhadamente envolvente entretenimento com algumas cenas digitais de Nova Iorque pré-guerra, de tirar o fôlego.

Isto é Steampunk2.0, com inspirações de Terry Gilliam´s Brazil Ou Howard Hawks´s His Girl Friday mas a Nova Iorque que ela criou tem também o lado obscuro, o aspeto traumatizante de Gotham City. Os feiticeiros americanos são sujeitos a um debate interno sobre a sua atitude com os outros habitantes; na América um muggle é chamado de “no-maj”.

É uma cisão que ameaça atingir as propoções do X-Men.

O arrogante e desprendido Newt chega a Nova Iorque à caça de novas e raras espécies, e acontece que carrega consigo algumas criaturas exóticas na sua maltratada mala de colchetes, o que a torna bastante insegura. Mas a cidade onde ele acaba de chegar tem sido ameaçada por um tipo de magia negra, um poltergeist na forma de um remoinho, que destrói tudo no seu caminho, as ruas e os edifícios, e é chamado de obscurial.

O ingénuo Newt causa uma calamidade quando chega, praticamente de forma instantânea, com uma confusão no banco por causa dos seus animais – e um truque do destino faz com que ele forme uma improvável amizade com um “no-maj”, Jacob Kowlaski (uma fascinante interpretação de Dan Fogler) um antigo soldado preso a trabalhar numa fábrica, mas que tem o grande sonho de abrir a sua própria pastelaria. Mas Newt, o nosso doce cavalheiro, amador neste meio, irrita as autoridades mágicas americanas e em particular Tina Golstein (Katherine Waterston) que tem problemas com os seus próprios superiores. Tina acaba por ter de proteger Newt e Jacob e leva os nossos dois amigos para o apartamento que ela divide com a sua telepática irmã Queenie (Alison Sudol) por quem Jacob se enamora.

E poderá existir uma faísca entre Newt e Tina? Enquanto isso, a assustadora e anti-bruxos activista Mary Lou (Samantha Morton) e o seu filho adotado Credence (Ezra Miller) parecem ter uma inquietante ligação com o “wizard-apparatchik” Percival Graves (Colin Farrell).

É um universo bastante Rowling, denso e divertido, mas sempre levando bastante a sério o seu perigo e sem esforço consegue com que façamos o mesmo. O filme Beasts poderá realmente limpar a divida que Rowling tem com Roald Dahl. Eles também mostraram que o universo dela com esta exótica fauna é a melhor opção, um primo de George Lucas.

undefined

Existe um estranho prazer em ver como a magia dela está potente como sempre. O mundo muggle ou no-maj que estamos a ver tem quase um século, mas a linguagem, a decoração e a produção de magia não é de forma nenhuma antiga ou rudimentar. Isto permanece igual. Eles têm imagens animadas nos jornais como hoje em dia. Como sempre o mundo mágico é um estado dentro de um estado, um segredo à vista de todos, e parte da diversão é deixar tudo isto em segredo.

Katherine Waterston é fantástica como Tina, e talvez dê a Rowling um universo que ela nunca teve até agora: uma jovem mulher realmente forte e uma líder, que consegue apanhar os maus da fita em termos semelhantes ao homem – e também ter o necessário para um romance.

Rowling e Yates ofereceram-nos um fabuloso, amável, despretensioso, irresistível e animado filme. Existe uma cena numa taberna em que alguém pede “seis shots de “giggle-water”. Este filme fez-me sentir como se tivesse 12 anos.

Fonte: The Guardian

(Visited 80 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

1.561 Spam Comments Blocked so far by Spam Free Wordpress

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>